Mestre Faisca

Mestre Faisca 1

“Eu vim de uma família humilde, da área rural de São Paulo, criado por minha mãe, que ainda cuidava de meus sete irmãos. E em meio a tanta dificuldade, foi na cultura, através da Capoeira Angola, que eu construí meu caráter e a sensibilidade pelos problemas sociais gravíssimos do nosso país”

( Mestre Faísca)

RESUMO BIOGRÁFICO DE MESTRE FAÍSCA

Mestre diretor e coordenador do CECA RV

Infância

Nascido em São José do Rio Pardo, interior do Estado de São Paulo, Luís Roberto Ricardo, hoje conhecido como Mestre Faísca, filho de Maria Aparecida da Silva Ricardo e José Ricardo Filho, foi criado pela sua mãe na ausência do seu Pai, ao lado de mais 7 irmãos.  Para o sustento dos filhos, a heroína Maria lavava roupa e cozinhava em casa de família. Chegou a acumular vários ofícios ao mesmo tempo, trabalhando durante o dia na cozinha de um hotel e à noite em um restaurante, pouco podendo ficar em casa. Mestre Faísca, desde a infância se interessava por esportes, e costumava ir a um mato ralo, no bairro João de Souza, treinar com colegas. A mãe, cansada de sofrimento, não aprovava esta atitude. Ela achava que seu filho teria que estudar e ter carteira profissional assinada, pois luta era coisa de gente à toa.

Início na Capoeira
A partir de uma visão afro-descendente, de que se nasce Capoeira, foi na adolescência que Mestre Faísca começou a se orientar com os movimentos da luta-arte. Seu início se deu em São José do Rio Pardo – SP, com um capoeirista de nome Luiz Carlos Viana, e que tempos depois abandonou a Capoeira.  Mestre Faísca, que não desistiu, veio ministrar suas primeiras aulas de capoeira na cidade de Mococa-SP, iniciando seu primeiro grupo. Em seguida, buscou apoio junto ao Mestre Izael Teixeira, na cidade de São Carlos – SP, que não lhe negou. Mestre Faísca, então, iniciou uma luta incessante para o resgate da Capoeira Angola, que à época, no estado de São Paulo em sua região, era intitulada somente de “Capoeira”.

No ano de 1991 realizou sua primeira aula de Capoeira com Mestre João Pequeno de Pastinha, na Universidade de São Paulo – USP, o qual, mais tarde, se tornaria seu Mestre. Mestre Izael, opta por resgatar a Capoeira Regional de Mestre Bimba, período em que Mestre Faísca se desliga da escola, dando continuidade à capoeira com seu grupo e após muita pesquisa e trabalho, chega à essência da Capoeira Angola que tanto idealizava.  Durante suas pesquisas, Mestre Faísca teve uma pequena passagem, unindo seu grupo de Capoeira Angola com o Grupo Semente do Jogo de Angola, mas logo observou que este não correspondia às suas expectativas, vindo em seguida a se desligar.

Em Salvador
Em 1996, fixou residência em Salvador, indo ao encontro daquele que lhe realiza – Mestre João Pequeno de Pastinha. Logo começou a fazer parte da Academia de João Pequeno de Pastinha – Centro Esportivo de Capoeira Angola no Forte Santo Antônio Além do Carmo.
Mestre Faísca e demais alunos que freqüentavam o Forte Santo Antônio à época, se sentem privilegiados, recebendo aulas práticas de Capoeira Angola diretamente de Mestre João Pequeno de Pastinha, que retornava a ministrar aulas todas as segundas-feiras. Com o passar do tempo, seu esforço é valorizado, tendo seus trabalhos realizados no estado de São Paulo e na Bahia reconhecidos pela comunidade capoeirística nacional e internacional.

Formatura

Em 2001, em uma reunião, Mestre João Pequeno de Pastinha profere uma frase: “Vou formar o Faísca à Mestre, pois o trabalho dele está bonito e ele está merecendo”. No dia 14 de outubro do mesmo ano, em evento realizado na Academia do Forte Santo Antônio Além do Carmo, Salvador-Ba, Luís Roberto Ricardo recebe pelas mãos de Mestre João Pequeno o título de Mestre, oficializando-o como Mestre Faísca frente à comunidade capoeirítica. Para Mestre Faísca, a orientação de Mestre João Pequeno de Pastinha confirmou o caminho a ser seguido. Deu a ele a certeza de como agir no relacionamento com o outro e com a Capoeira. Foi com ele que Mestre Faísca, pela primeira vez, conheceu o sentido da relação Mestre-Discípulo. E desde então, a Capoeira Angola adquire para Mestre Faísca uma importância vital. Ele não concebe outro caminho para si diferente deste, trilhado até hoje.

Atualmente, Mestre Faísca está na direção direta da Academia de João Pequeno de Pastinha Centro Esportivo de Capoeira Angola do Rio Vermelho, vale das pedrinhas Salvador – Ba. Além desta, Mestre Faísca coordena núcelos da AJPP- CECA localizadas em outros estados e países.

O trabalho realizado pelo Mestre Faísca tem o objetivo de preservar a Cultura Africana através da Capoeira Angola, sob o viés da técnica de Mestre João Pequeno de Pastinha, utilizando-a como elemento de mudança sócio-educativa.